Deixe um comentário

Yokkaichi recebe o primeiro transatlântico estrangeiro

Pela primeira vez o Porto de Yokkaichi, na província de Mie, recebe um navio cruzeiro desse porte, o qual trouxe movimentação à cidadenavio costa romanticaO navio transatlântico italiano Costa neoRomantica, pertencente a Costa Crociere S.p.A., a maior companhia de cruzeiros da Europa, aportou em Yokkaichi (Mie).

Ele ancorou na terça-feira (2) trazendo uma tripulação de 2,1 mil pessoas. Partiu de Tóquio na véspera do Natal, às 15h, com destino a Kobe, passou pelas ilhas Amami e Ishigaki. Depois seguiu para Taiwan, ficou 2 dias em Naha e incluiu Yokkaichi no roteiro, antes de seguir para Nagoia e finalizar o cruzeiro na capital japonesa.

Em Yokkaichi os 2,1 mil turistas puderam passear até as 17h, trazendo movimentação para a cidade.

O transatlântico tem 219 metros de comprimento, quase 800 camarotes, 4 restaurantes, além de bares e cafés, piscinas, spas, pistas poliesportivas e entretenimento.

Este foi o primeiro, mas a cidade fechou acordo para receber 7 transatlânticos estrangeiros este ano.
Fonte: Portal Mie

Anúncios
Deixe um comentário

Cresce o número de estrangeiros como ‘kaigo’

O número de brasileiros no setor de ‘kaigo’, cuidados com pacientes nas instituições médicas e asilos, cresceu, mas não acompanha os filipinoskaigoApesar do crescimento do número de trabalhadores estrangeiros no setor de cuidados com os pacientes, ajudando os enfermeiros, foi detectado um problema dentro das instituições.

Segundo pesquisa realizada pelo governo da província de Shizuoka em 1.427 instituições que empregam ‘kaigo shokuin’ (介護職員) 52% deles têm dificuldade na leitura e escrita. Apesar disso, mais da metade pensa em contratar trabalhadores estrangeiros.

Atualmente são 277 ‘kaigo shokuin’ estrangeiros na província, sendo que 40% é de nacionalidade filipina, segundo dados de outubro deste ano. Os brasileiros vêm em segundo lugar, com 55 pessoas, menos da metade dos filipinos – 112.

Em geral, o conceito a respeito dos cuidadores estrangeiros é bom. A maioria (85%) respondeu que há pessoas agradáveis. Esse percentual demonstra que a cada ano vem melhorando o conceito, pois subiu de 66% do ano retrasado para este ano.
Fonte: Portal Mie

Deixe um comentário

Inverno no Japão será mais frio que o normal por causa do fenômeno La Niña, diz Agência

Equipamentos de observação detectaram queda na temperatura da água no leste do Oceano PacíficoInverno no JapãoO inverno japonês, que começa oficialmente em 22 de dezembro, poderá ser mais rigoroso que o nornal no arquipélago.

Na segunda-feira (11), a Agência de Meteorologia do Japão (JMA) informou que o fenômeno La Niña foi detectado no leste do Oceano Pacífico.

Equipamentos de observação detectaram queda na temperatura da água na costa do Peru. A temperatura vem caindo constantemente desde agosto e está em 24ºC, o que é 1,1ºC a menos do que a média dos últimos 30 anos.

Ainda não há confirmação, mas a Agência acredita que essa variação de temperatura é um indicativo da ocorrência do La Niña, um fenômeno que costuma ser registrado de dois a sete anos.

O La Niña provoca uma série de consequências no clima em diversos pontos do planeta.

Quando o fenômeno ocorre, algumas regiões do Brasil e Austrália registram mais chuvas que o comum e o frio se intensifica na costa oeste dos Estados Unidos e também no Japão.

De acordo com uma reportagem do jornal Mainichi, o efeito pode provocar uma maior ocorrência de neve nas regiões próximas ao Mar do Japão. Outro ponto é a queda de temperaturas no arquipélago, devido a um fenômeno de pressão atmosférica baixa no leste e alta no oeste no Pacífico, que ocorre como consequência da água mais fria no oceano.

Quando o fenômeno La Niña foi registrado em 2010, nevascas fora do comum atingiram várias regiões do Japão em janeiro de 2011, inclusive no oeste do país, deixando estradas intrafegáveis.
Fonte: Portal Mie

Deixe um comentário

Feriado do Dia de Agradecimento ao Trabalho no Japão

A data de 23 de novembro, em vermelho no calendário japonês, tem um significado diferente do Dia do Trabalhador, em 1º de maiocalendario 23 novembroA data de 23 de novembro foi promulgada como feriado nacional no ano 1948. Teve como objetivo convidar a população a agradecer pela produção.

Isso porque o Japão era um país essencialmente agrícola. Desde a antiguidade o povo celebra as colheitas, agradecendo aos deuses. A cada celebração das colheitas se agradecia pela próxima safra, desde os tempos do período Asuka – de 550 ao ano 700.

O calendário gregoriano foi introduzido no Japão somente em 1873, substituindo o lunar. Segundo a história, não há um motivo especial para fixar o feriado nessa data. Porém, sabe-se que se realizava um festival xintoísta, desde 1874.

Como os festivais agradecem e celebram a colheita, no pós-guerra quando o Japão passou a ter indústrias, foi criado esse feriado.

É o dia em que os cidadãos se agradecem mutuamente e celebram a produção.

Mas também é dia das luvas, dia de comer fora e dia do game no Japão.
Fonte: Portal Mie com Wikipedia, PHP e The Page

Deixe um comentário

Imperador Akihito e Imperatriz Michiko visitam a Embaixada do Brasil

O embaixador recepcionou as majestades do Japão em comemoração aos 50 anos da visita deles ao Brasil, quando ainda eram príncipes
imperador
O embaixador André Corrêa do Lago e sua esposa receberam o Imperador Akihito e a Imperatriz Michiko na sede, localizada em Kita Aoyama, Minato-ku, na capital japonesa.

O motivo da visita, no sábado (4) pela manhã, foi especial. Uma exposição exibe imagens da visita das majestades ao Brasil. Isso ocorreu 50 anos atrás, quando ainda eram príncipes, em 1967.

A exposição reuniu fotos, recortes de jornais da época e também imagens.

Eles se hospedaram em Copacabana, Rio de Janeiro, e foi a primeira visita oficial ao Brasil.

A Imperatriz Michiko olhou para uma das fotos e teria comentado “andamos por aqui de manhã”. O Imperador olhava as fotos e teria comentado “é nostálgico”.

O casal imperial estabeleceu diálogo com o embaixador Corrêa do Lago e esposa em inglês.
Fonte: Portal Mie com Tokyo Shimbun e Ryukyu Shinpo

Deixe um comentário

Primeira neve deste outono-inverno em Hokkaido

Temperaturas abaixo de zero foram registradas em boa parte da província de Hokkaido
frio no japaoA manhã desta terça-feira (17) foi marcada por temperaturas abaixo de zero em 52 dos 173 pontos de observação da província de Hokkaido.

Por influência da massa de ar frio, foi observada a primeira neve deste outono-inverno. Os termômetros das cidades vizinhas a Kushiro, onde nevou, registraram temperatura de até -4,2ºC até as 9h desta terça-feira.

De acordo com o Observatório Regional de Meteorologia de Hokkaido, a população de Douto e Kushiro teve que se agasalhar bem. O frio da manhã de terça-feira parece ter sido antecipado, pois essa temperatura é comum em meados de novembro.

A primeira neve de Kushiro veio 24 dias antes da época normal e 3 dias antes em relação ao ano anterior. A temperatura na cidade era de -0,5ºC, às 6h50, quando os primeiros flocos de neve misturados à chuva caíram.

O observatório local informa que, na quarta-feira (18) nos locais mais altos e até mesmo nas planícies, poderá nevar. Além disso, como poderá ter geada também, recomenda aos motoristas cuidado na direção, com as pistas escorregadias.
Fonte: Portal Mie com Nlab e Hokkaido Shimbun

Deixe um comentário

Falta ninja no Japão

O assunto é tão sério que a NHK produziu um especial “quer se tornar um ninja?”, tamanha a falta de pessoas com esse talentoninjaCriado no ano retrasado o Conselho de Ninja do Japão (Japan Ninja Council) realizou uma pesquisa entre os estrangeiros de vários países do mundo. Para a primeira pergunta “você sabe o que é ninja”, a resposta foi “sim”. No entanto, o número surpreendeu – 98,7% dos entrevistados sabe o que é um ninja.

As respostas para a segunda pergunta “você acha que o ninja existe”, também surpreenderam. 60% dos estrangeiros que visitaram o Japão ou querem visitar, acreditam que o ninja ainda exista. Portanto, eles querem ver um “ninja de verdade”.

Um Ninja Yashiki (castelo do ninja) situado em Kabuki-cho, Shinjuku, na capital japonesa, chega a receber mais de 100 turistas estrangeiros por dia. Eles vão para lá para praticar algumas habilidades do ninja. O local está com reservas cheias por meses seguintes.

Ninja e a Era Edo
A reportagem da NHK foi até Hokkaido, no parque temático Noboribetsu Date Jidaimura. Cerca de 300 mil turistas por ano visitam o parque mais por causa do show no Kasumi Ninja House. Esse número é 4 vezes maior do que 10 anos atrás.

O show do ninja nesse parque é considerado de alto nível. O estilo do ninjajutsu é o Toga. O espetáculo é cheio de ações rápidas, característica dessa técnica que surgiu na Era Edo. Nessa casa, os 8 ninjas fazem 6 espetáculos por dia. Com a falta de ninjas, os poucos são obrigados a cumprir outros papéis, além de ajudar em outras tarefas.

Os homens, agentes secretos dessa era, tinham domínio das artes marciais, conhecimentos específicos e também usavam algumas ferramentas para esse exercício.

Para obter todos esses conhecimentos e técnicas, é preciso muito estudo e horas de prática. Ninguém se torna ninja da noite para o dia.
ninja2

Procura-se por ninja
Segundo a reportagem, essa falta de ninjas ocorre em todo o país. Isso se agravará com a vinda de muitos outros turistas por conta do maior evento esportivo do mundo em 2020.

Até um centro de formações de atores em Tóquio iniciou um curso de formação do ninjutsu. No curso os alunos aprender a lidar com 10 tipos de armas e ferramentas, para “eliminar” o ataque do oponente.

Rumo a se tornar ninja
A reportagem entrevistou uma jovem formada e atuando na profissão de TI, 25 anos. Ela se apaixonou pelo ninjutsu e decidiu trocar sua carreira promissora pela de ninja.

Trocou temporariamente Tóquio por Hokkaido. Enquanto faz “arubaito” de dia, a noite é para frequentar o dojo da escola de formação de ninja. Ela teve que comer muito arroz para engordar 8 quilos em 4 meses para preparar o corpo.

A futura ninja parece ter encontrado o seu caminho lá. No entanto, nessa escola, apesar da grande procura, em 5 anos, somente 5 conseguiram se tornar ninjas.

A verdade é que o ninja está escasso e sua procura está cada vez mais quente. Especialmente no momento em que a Agência Cultural aprovou como patrimônio cultural os ninjas das cidades de Iga (Mie) e de Koka (Shiga). Com isso, os ninjas ganham ainda mais impulso.

Fonte: Portal Mie com NHK, Edo Trip e Ninja Council