Deixe um comentário

Defeito em apartamentos Leo Palace vai obrigar mudança de 14 mil pessoas no Japão

Mais de 1.300 prédios têm paredes com falha de resistência ao fogo e isolamento acústico

apartamentos Leo PalaceA empresa responsável pelos apartamentos Leo Palace disse na quinta-feira (7) que pedirá a saída de 14.443 moradores, após detectar defeitos em 1.324 de seus prédios no Japão, informou a agência de notícias Kyodo.

A empresa disse que uma sonda detectou instalação defeituosa de um material resistente ao fogo em tetos e o uso de um material abaixo do padrão para isolamento acústico em paredes internas. A sonda também descobriu que a construção de paredes externas não atende aos requisitos de proteção contra incêndio.

A Leo Palace lançou uma investigação sobre possíveis problemas em seus quase 40 mil apartamentos em todo o país depois que 38 casos de defeitos foram encontrados em prédios construídos entre 1996 e 2009.

Dos 14.443 moradores afetados em Tóquio e em 32 províncias, a empresa pedirá a 7.782 pessoas para saírem o mais rápido possível.

A empresa planeja arcar com todas as despesas de mudança dos inquilinos e reformar os prédios defeituosos. Em função disso, a previsão é de um prejuízo de 40 bilhões de ienes no atual ano fiscal, que termina em março.

A companhia, sediada em Tóquio, decidiu cortar o salário do presidente-executivo Eisei Miyama em 30% e de outros executivos em 20% por seis meses, a partir de fevereiro.

Existe a possibilidade de Miyama deixar o cargo em função dos problemas encontrados nos prédios.
Fonte: Alternativa

Anúncios
Deixe um comentário

Era Heisei termina em menos de 100 dias

Várias lojas estão vendendo produtos para marcar o término era Heisei, que teve início em 8 de janeiro de 1989

imperador akihito4
Com menos de 100 dias até o fim da atual era Heisei, o entendimento da mudança está se espalhando no Japão.

A era Heisei se encerrará com a abdicação do imperador Akihito em 30 de abril e uma nova terá início quando o príncipe herdeiro Naruhito ascender ao trono em 1º de maio.

Na estação de Tóquio, manjus estão chamando atenção, com as vendas diárias chegando a mais de 100 caixas. Em cada caixa há um cartão que inclui frases como “Obrigado, Manju Heisei”.

Uma loja no distrito de Shinjuku (Tóquio) instalou um balcão especial para produtos Heisei.

Pastas de plástico do tamanho A4 são particularmente populares. Os caracteres para “Heisei” estão escritos na frente, com os grandes eventos dos últimos 30 anos, como a queda do Muro de Berlim em 1989, destacado na parte de trás.

Cerca de 50 produtos relacionados estão à venda.

Em muitos sites que fazem a contagem regressiva para o fim da era Heisei, o número 100 mudou para 99 na segunda-feira (21).

Algumas pessoas no movimentado distrito de Shinjuku compartilharam seus pensamentos sobre o fim da era Heisei.

Um jovem de 21 anos disse que está triste em pensar que a era de seu nascimento está se encerrando.

Uma funcionária de creche, de 24 anos, disse que está ansiosa pela primeira mudança de era de sua vida e que estará animada em receber crianças nascidas em uma nova era no estabelecimento onde trabalha.
Fonte: Portal Mie com NHK

Deixe um comentário

Japão define regras para creches gratuitas e ajuda em dinheiro a partir de outubro de 2019

A medida vai beneficiar principalmente pais com filhos de 3 a 5 anos

creche
O governo japonês definiu nesta sexta-feira (28) regras para creches e jardins de infância gratuitos e concessão de ajuda mensal em dinheiro, informou a agência de notícias Jiji Press.

As creches e os jardins de infância reconhecidos passarão a ser gratuitos em outubro de 2019, quando o imposto sobre consumo (shouhizei) subirá de 8% para 10%.

A medida vai beneficiar todos os pais com filhos de 3 a 5 anos, independente da renda familiar.

No caso das crianças de 0 a 2 anos, apenas as famílias de baixa renda que estão isentas do imposto residencial (juuminzei) terão creches gratuitas para todos os filhos.

O sistema atual já contempla as famílias de baixa renda com creche gratuita para crianças de 0 a 2 anos de idade. No entanto, a gratuidade vale apenas a partir do segundo filho de famílias que recebem o benefício do seikatsu hogo (auxílio subsistência) ou estão isentas do imposto residencial.

As novas medidas para crianças de 0 a 2 anos também incluem o primeiro filho de uma família de baixa renda.

Em relação às creches ou jardins de infância não reconhecidos, o governo vai dar uma ajuda mensal de até ¥37 mil aos pais com filhos de 3 a 5 anos.

O benefício abrangeria as famílias que realmente necessitam deixar os filhos na creche, pelo fato do pai e da mãe trabalharem fora ou por outros motivos. As prefeituras ficariam responsáveis por decidir quem poderia receber a ajuda ou não.

Os pais que têm filhos de 0 a 2 anos só ganharão a ajuda se estiverem isentas do imposto residencial.

As creches e os jardins de infância dessa categoria não são reconhecidos pelas prefeituras, mas podem funcionar normalmente como instituições particulares, incluindo também creches que funcionam à noite e hotéis para bebês.

O primeiro-ministro Shinzo Abe disse que os benefícios custarão ao governo ¥1,5 trilhão, incluindo a medida que torna também o ensino médio (koukou) gratuito, mas ele espera compensar os gastos com o aumento do imposto sobre consumo.

Como ficarão as creches
– Creches e jardins de infância reconhecidos (ninka / 認可) se tornarão gratuitos a partir de outubro de 2019

– A medida vale para todos os pais com filhos de 3 a 5 anos, independente da renda familiar

– No caso das crianças de 0 a 2 anos, apenas as famílias de baixa renda que estão isentas do imposto residencial (juuminzei) terão creches gratuitas para todos os filhos

– Ajuda mensal de até ¥37 mil para pais que têm filhos de 3 a 5 anos em creches ou jardins de infância não reconhecidos (ninkagai / 認可外). O pai e a mãe precisam estar trabalhando fora, sem ter com quem deixar as crianças.

– A ajuda será concedida a pais com filhos de 0 a 2 anos se a família estiver isenta do imposto residencial
Fonte: Alternativa

Deixe um comentário

Templo Kiyomizu anuncia o kanji do ano de 2018: 災

Como acontece tradicionalmente o Templo Kiyomizu anunciou o kanji de 2018

kanji de 2018
Seihan Mori, o abade principal do templo budista Kiyomizu, situado em Quioto (província homônima), anunciou o kanji do ano 2018, na quarta-feira (12).

O escolhido foi o 災, lê-se sai e azawai, o que significa acontecimentos desagradáveis.

O abade escreveu o ideograma, a carvão, sobre uma folha de washi – papel tipicamente japonês – de 1,5m por 1,3m em uma cerimônia. E explicou o motivo da escolha.

O ano foi marcado pelos desastres da natureza, como as enchentes provocadas pelo tufão e os terremotos, os quais provocaram vítimas e desabrigaram pessoas.

Há várias formas de escrever situações e acontecimentos ruins usando esse kanji:
火災 (kasai), incêndio
震災 (shinsai), terremoto
人災 (jinsai), calamidade provocada pelo ser humano
被災 (hisai), desastre ou aflição
防災 (bosai), prevenção de desastres
罹災 (risai), sofrimento ou aflição
Esse foi o último ideograma da era Heisei, a qual está se findando.
Fonte: Portal Mie com Sankei e NHK

Deixe um comentário

Ministro confirma plano para visita do Papa Francisco ao Japão em 2019

O ministro japonês Taro Kono confirmou que estava trabalhando com o Vaticano para organizar a visita do Papa Francisco ao país no próximo ano

papa franciscoO ministro de relações exteriores do Japão confirmou no sábado (24) que estava trabalhando com o Vaticano para organizar a visita do Papa Francisco ao país no próximo ano, divulgou a NHK.

Taro Kono disse que o Japão não pouparia esforços em fazer a visita acontecer e se encontrou com o arcebispo Paul Gallagher na Santa Sé após participar de uma conferência internacional em Roma na sexta-feira (23).

Em sua primeira visita à cidade do Vaticano desde o dia que ele assumiu o cargo de ministro de relações exteriores em agosto de 2017, Kono disse que o Japão e o Vaticano vão colaborar através de canais diplomáticos e realizar consultas para decidir os detalhes da visita.

Se confirmada, a visita de Francisco ao Japão será a primeira de um papa ao país desde 1981, ano em que João Paulo II pisou em terra nipônicas.
Fonte: Portal Mie com EFE

Deixe um comentário

Japão investe na indústria de serviços e reformula sua famosa hospitalidade

Sistemas automatizados podem retirar o toque humano do “omotenashi”

sistemas automatizadosO boom de gastos de capital do Japão está mudando para o setor de serviços, provocando temores de que sistemas automatizados e softwares retirem o toque humano do “omotenashi”, o pretenso compromisso do país com a hospitalidade.

Os esforços econômicos no trabalho são inegáveis. A população em idade ativa deverá encolher em cerca de um terço no próximo meio século, e as empresas simplesmente não podem contratar trabalhadores suficientes.

Virar-se para a automação aumenta a produtividade e elimina o gargalo do crescimento econômico – mas marca um recuo de uma cultura orientada a serviços, na qual o cliente é o “rei”.

“O nível de omotenashi depende de onde você compra, mas, independentemente disso, damos muita ênfase à interação face a face”, disse Naoki Kobayashi, 52 anos, gerente de vendas de uma empresa de telecomunicações, depois de comprar bebidas de uma loja ao norte de Tóquio que não tinha funcionários. “Nós também temos uma população cada vez menor, então eu posso entender por que alguns varejistas precisam mudar.”

A East Japan Railway trabalhou com a consultoria de tecnologia da informação Signpost para montar a loja no mês passado em uma estação de trem em uma linha popular de passageiros.

Para fazer o pagamento, os compradores pegam um cartão RFID na entrada e deixam no local quando saem. Câmeras alimentadas com AI rastreiam quais produtos eles escolheram.

Ainda há alguns bugs: no caso de Kobayashi, o sistema confundiu sua compra com a de seu colega de trabalho. A loja sem funcionários ainda está sendo testada, mas pode ser aberta em outro lugar em resposta à escassez de mão de obra, disse um porta-voz da East Japan Railway.

O “omotenashi” ajudou o Japão a ficar em primeiro lugar no ano passado em satisfação do cliente, de acordo com um estudo do Fórum Econômico Mundial sobre turismo.

Mais comumente, ele incorpora intensa interação pessoal com os clientes, uma disposição extrema de responder ao menor pedido, falar apenas o idioma japonês mais polido e se curvar com frequência.

Mesmo os funcionários de supermercados e hotéis baratos são treinados para se curvarem, falam em tom polido e são mais atentos do que a maioria dos trabalhadores no exterior.

Mas as empresas japonesas agora são forçadas a considerar quanto de um toque pessoal podem pagar. O índice de novos postos de trabalho para candidatos já é o maior em quatro décadas e é provável que suba ainda mais.

A população em idade ativa do Japão cairá 35 por cento, para 50,7 milhões em 2065, dos 78,1 milhões em 2015, disse a ONU.

Os gastos de capital no setor de serviços, que começaram a acelerar no último trimestre de 2016, aumentaram 9,2% no primeiro semestre deste ano, o crescimento mais rápido em quase três anos.

O investimento poderia compensar no Japão, que tem a menor produtividade entre os países do G7.

A Matsuya Foods Holdings está reformando alguns de seus restaurantes self-service. Os clientes pegam a comida em um balcão e limpam suas próprias bandejas, o que significa menos interação com os funcionários.

A operadora de lojas de conveniência Lawson está testando um sistema que permite que os compradores digitalizem e paguem pelas mercadorias com seus telefones celulares.

Na loja de departamentos Takashimaya em Nihonbashi, no centro de Tóquio, o veterano porteiro Masanori Shikita, de 71 anos, franziu a testa quando perguntado se o “omotenashi” perderia seu toque humano.

“Nossa filosofia básica é colocar as pessoas em primeiro lugar”, disse ele. “Omotenashi significa que você permanece do lado do cliente, e você vê as coisas do ponto de vista do cliente, como você mostra a hospitalidade”.

Certamente, alguns elementos da tradição de atendimento ao consumidor provavelmente não desaparecerão. O edifício da Takashimaya em Nihonbashi, construído em 1933, é considerado uma importante propriedade cultural e conta com elevadores elaborados e operados por funcionários.

Yuria Nagamoto, 22 anos, trabalha como operadora de elevador há três anos. Vestida com um uniforme escuro e chapéu de casaquina, ela anuncia quais itens estão disponíveis antes de parar o elevador em cada andar.

“Na Takashimaya, os clientes fazem tantas perguntas diferentes que eu tive que estudar muito, mas é importante poder responder às necessidades dos clientes”, disse ela.

Mas algumas empresas dizem que máquinas as ajudam a manter o toque humano de “omotenashi”.

A Fast Retailing instalou caixas automáticos em 195 lojas para sua marca de roupas de baixo custo GU. A empresa disse que os clientes gostam das máquinas, mas que não cortará pessoal.

“O novo sistema aumenta significativamente a eficiência das operações das lojas, portanto a equipe pode passar mais tempo com os clientes que fazem compras”, disse uma porta-voz da Fast Retailing.

“Esta iniciativa realmente melhora nosso nível de serviço.”
Fonte: Alternativa com Reuters

Deixe um comentário

Segundo turno da votação, veja como fica

Os 3 Consulados do Brasil no Japão informam sobre o 2º turno da votação

eleições segundoturno
O número de eleitores brasileiros em todos os países aumentou, especialmente a população que vota em Nagoia (Aichi).

No primeiro turno a votação foi realizada na Universidade Chukyo. No entanto, no segundo turno, o voto para eleitores de Nagoia será em outros locais. Segundo informação do Consulado-Geral do Brasil em Nagoia “a votação do segundo turno da eleição presidencial na Universidade Chukyo foi vetada pelas associações de moradores dos bairros de Showa e Tenpaku”.

Nos postos de Hamamatsu e Tóquio não há alteração dos locais. Veja abaixo.

Em todos os locais indicados para votar o horário é das 8h às 17h, no último domingo do mês, dia 28.

Estacionamentos indevidos
No primeiro turno ocorreram muitos problemas com estacionamentos em locais não permitidos. As autoridades pedem encarecidamente que os eleitores evitem se locomover de carro. Caso não seja possível, que procurem estacionar o veículo em local adequado, nos estacionamentos pagos mesmo que tenha que andar um pouco.

Locais de Votação
Jurisdição do Consulado de Nagoia
Assim, o posto foi obrigado a acatar a decisão e o segundo turno será realizado em dois locais, em 28 deste mês, domingo. “Na ausência de local espaçoso alternativo para o segundo turno, a votação será no Consulado-Geral do Brasil em Nagoia e no Banco do Brasil”, informou. Toque sobre os respectivos nomes para abrir os mapas. Eles ficam próximos à saída 7 da estação Marunouchi, dos metrôs Tsurumai, da linha de mesmo nome, ou da linha Sakuradoori.

  1. Nagoia (Aichi): próprio consulado e no Banco do Brasil (NÃO É MAIS NA UNIVERSIDADE CHUKYO). Verifique sua seção e o local de votação exata na tabela que o consulado distribui no dia
  2. Suzuka (Mie): Escola Alegria de Saber-EAS
  3. Toyohashi (Aichi): Prefeitura – Higashikan 13.º andar
  4. Hiroshima (província homônima): 2.º andar do Ryugakusei Kaikan
  5. Takaoka (Toyama): Yukawa Jinzai Service

Jurisdição do consulado Hamamatsu
Para o eleitor dessa jurisdição o local de votação é único. É no Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu, no 1.º, 7.º e 8.º andares.

Jurisdição do Consulado de Tóquio
Os locais para votação no segundo turno são os mesmos do primeiro. O Consulado-Geral do Brasil em Tóquio providenciou 4 locais de votação, sendo que na capital do país o local é próximo ao consulado. Confira abaixo.

  1. Tóquio: eleitores das seções 1765, 1766, 1767, 1768, 1769, 1770, 1771, 1772, 1773, 1774, 1775, 1776, 1777, 1778, 1779, 1780 devem ir para Areal Conference Room Annex 2.º andar
  2. Oizumi (Gunma): eleitores das seções 1815, 1816, 1817, 1818, 1819, 1820, 1821, 1822, 1823, 1824, 1825 devem ir para Oizumi-Machi Bunka Mura
  3. Joso (Ibaraki): eleitores das seções 1806, 1807, 1808, 1809 devem ir para Prefeitura de Joso
  4. Ueda (Nagano): eleitores das seções 1835, 1836, 1837 devem ir para Uenogaoka Kominkan

Providências antes da votação
Para evitar de ficar na fila e descobrir que não está apto a votar, veja abaixo o que precisa conferir ou providenciar antes. Isso evitará os transtornos do primeiro turno.

  • É preciso ter domicílio eleitoral no Japão ou ter transferido o título de eleitor
  • Levar um documento de identidade brasileiro que tenha foto. Pode ser passaporte, identidade (RG), carta de habilitação ou alistamento militar.
  • Caso o nome do titular esteja diferente no título eleitoral e no documento de identificação, deve-se apresentar também o documento comprobatório de alteração de nome.
  • O eleitor que estiver com sua situação eleitoral regular, mesmo sem o documento do título de eleitor, poderá votar apresentando documento brasileiro original com foto que comprove sua identidade
  • Saiba de antemão a sua seção eleitoral
  • Mãe ou pai com bebê de colo, idosos (acima de 60 anos), pessoas com deficiência e obesos devem entrar na fila de prioritários
  • Como nenhum dos locais possui estacionamento e o número de vagas na região é limitado a recomendação é usar transporte público. Isso evitará multas de trânsito como no primeiro turno. Por isso, verifique no mapa o seu local de votação antecipadamente
  • Baixe o app e-Título (pode ser obtido através do Google Play ou App Store.

Pedido especial do Consulado de Nagoia: voluntários
São 16 mil eleitores inscritos para votar somente em Nagoia. Há necessidade urgente de voluntários para auxiliar nos trabalhos de organização de filas e espaços para votação, de orientação aos eleitores prioritários e de indicação das mesas receptoras de votos. Àqueles que puderem colaborar o consulado pede para enviar mensagem para eleitoral.nagoia@itamaraty.gov.br com os seguintes dados:

  • nome completo
  • número do título de eleitor
  • data de nascimento
  • nome da mãe
  • endereço residencial completo
  • telefone
  • e-mail

Se puder ser voluntário em outras localidades de votação da jurisdição do consulado de Nagoia será bem-vindo.

Caso não possa comparecer
O voto é obrigatório para o cidadão brasileiro. Porém, se por algum motivo não puder comparecer é preciso justificar a ausência.
Fonte: Portal Mie com Consulados do Brasil no Japão