Deixe um comentário

Japão passa de 6 mil casos de coronavírus e OMS pede medidas mais drásticas

Tóquio continua encabeçando a lista de infecções no país, seguida por Osaka, Kanagawa, Chiba e Hyogo

tokyo emergency
A Organização Mundial da Saúde pede que o Japão tome medidas mais drásticas para conter o coronavírus em áreas com infecções não rastreáveis, segundo noticiou a NHK.

Michael Ryan, diretor-executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS, falou em uma entrevista coletiva em Genebra na sexta-feira (10) que as medidas até agora implantadas foram eficazes e obtiveram “informações tremendamente úteis” sobre como a doença se espalha.

Mas ele apontou para três locais, incluindo Tóquio, com casos nas últimas duas semanas que não estão ligados à forma de transmissão que se conhece.
Ryan disse que o Japão precisa intensificar os testes, o isolamento e outras medidas para combater as infecções.

Este sábado (11) marca um mês desde que a OMS declarou o surto de coronavírus como pandemia.

O último relatório da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, mostra que o vírus infectou mais de 1,65 milhão de pessoas no mundo e matou mais de 100.000.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que houve “uma desaceleração bem-vinda” de infecções na semana passada em alguns dos países mais atingidos da Europa, como Espanha, Itália, Alemanha e França.

Mas Tedros também alertou para “uma aceleração alarmante” nas áreas rurais da África. Ele pediu apoio, dizendo que a OMS prevê severas dificuldades para os sistemas de saúde já sobrecarregados.

Números
Até às 20h30 desta sexta-feira 464 novos casos foram relatados em todo o país, elevando o total para 6.009.

O dado inclui 14 pessoas que retornaram da China em aviões fretados, além de 96 funcionários do Ministério da Saúde que estão de quarentena ou ainda casos de pessoas cujos testes foram positivos na chegada aos aeroportos do país.

A adição de 712 casos do navio Diamond Princess eleva a contagem para 6.721.

O número de mortos é de 123, incluindo 11 do navio.

Por província, Tóquio encabeça a lista de infecções com 1.705 casos. A capital japonesa registrou mais um recorde de ocorrências: 189 na sexta-feira.

Osaka é a segunda com 616 casos, seguida por Kanagawa com 419.

Chiba tem 387 casos de infecção pelo coronavírus; Hyogo registrou 316 casos; Aichi tem 302, sendo seguida por Saitama com 295 e Fukuoka com 289.

Autoridades do Ministério da Saúde disseram na sexta-feira que 125 pessoas estavam em estado grave, incluindo as oito do navio de cruzeiro.

As autoridades disseram também que 1.353 pessoas se recuperaram e deixaram hospitais nesta sexta-feira. Dessas pessoas, 714 foram diagnosticadas no país, enquanto 639 foram infectadas no navio de cruzeiro.
Fonte: Alternativa

Deixe um comentário

Escolas em Kanto adiam retorno das aulas por causa do coronavírus

Instituições em Tóquio, Gunma, Saitama e Kanagawa ficarão fechadas por mais tempo

sala de aula2

Com o aumento do número de casos de coronavírus em Tóquio, escolas na região de Kanto decidiram adiar o retorno das aulas.

De acordo com o jornal Nikkei, o Comitê de Educação de Tóquio decidiu reabrir as escolas no dia 6 de maio, após o feriado prolongado de Golden Week (GW). Uma das preocupações é com os casos de infecção nos quais não é possível traçar a rota de contaminação.

Em Saitama, as escolas deveriam voltar no dia 8 de abril, mas o retorno foi adiado para o dia 13. A província reforçou os pedidos para que a população fique em casa à noite e em fins de semana. Idas a Tóquio devem ser evitadas pelo menos até o dia 19 de abril.

A província de Gunma também tomou providências e seguiu uma linha semelhante a Tóquio. As escolas da região devem reabrir até o dia 7 de maio, após o feriado prolongado.

O Comitê de Educação de Yokohama (Kanagawa), optou pelo fechamento de escolas até o dia 20 de abril. Em consideração aos pais que precisam trabalhar, as escolas estarão acolhendo algumas crianças durante este período.

Em Chiba, o governo local decidiu reabrir as escolas a partir de 6 de abril. As instituições próximas ao centro de bem-estar para deficientes que registrou casos de contaminação em massa, permanecerão fechadas.

Muitas instituições na região de Kanto decidiram manter suas cerimônias de abertura e as formaturas, mas em menor escala e com medidas como distanciamento entre alunos e higiene reforçada.

Só em Tóquio, já 773 infectados por covid-19. Kanagawa tem 195 casos confirmados. Chiba tem 192 infectados, Saitama conta 119 casos e Gunma já confirmou 21. Em todo o Japão, são pelo menos 2.924 casos confirmados até essa sexta-feira (3).
Fonte: Alternativa

Deixe um comentário

Medidas econômicas de emergência superiores às de 2008, com benefício em dinheiro para população

O governo está em fase de formulação urgente de medidas econômicas sem precedentes, as quais deverão ultrapassar as tomadas durante o Lehman Shock

shinzo abe4
Com a expansão do novo coronavírus, o Primeiro-Ministro Shinzo Abe informou no sábado (28) que está formulando um pacote de medidas econômicas de emergência.

Segundo Abe são superiores ao da crise de 2008, quando ocorreu a falência do Lehman Brothers, de magnitude sem precedentes. Para compreender essa escala, na época foram 56,80 trilhões de ienes, perfazendo mais de 10% do PIB (produto interno bruto) nominal.

Benefício em dinheiro para as famílias
Também informou que fornecerá uma provisão em dinheiro para pessoas físicas, especialmente para as famílias cuja renda diminuiu, e para as PMEs-pequenas e médias empresas afetadas pela desaceleração econômica, para que possam manter os empregos.

Pretende alocar esses recursos no orçamento do país ainda neste ano fiscal. “Gostaria de compilar em cerca de 10 dias e enviá-lo à Dieta imediatamente”.

Quer manter o emprego do povo
Esse pacote será focado em 5 medidas, incluindo as para evitar a propagação da infecção, desenvolvimento de vacina e medicamentos, provisão médica, mas também da manutenção do emprego e continuidade das atividades das empresas.

Ressaltou que, quando a propagação da infecção foi suprimida, “nos concentraremos em medidas ousadas de curto prazo para aumentar a demanda, nos setores de viagens, transporte, alimentação fora e eventos”.

Situação de emergência
Enquanto isso, a sede de contra medidas já decidiu sobre a força-tarefa do governo e já estabeleceu procedimentos legais no caso de precisar declarar situação de emergência.

Nesse sentido, Abe afirmou que, apesar de ainda não tê-la feito não pode prever o fim do período de disseminação, mas reconheceu que está no momento crucial e que terá que empreender em uma batalha de longo prazo.

Reabertura das escolas
Enquanto isso, à medida que o número de pessoas infectadas aumenta em Tóquio e em outras províncias de Kanto e Kansai o governo ouvirá as opiniões do grupo de especialistas ainda esta semana para tomar decisão em relação à reabertura das escolas a partir do novo período.

A perspectiva é de que em abril possa distribuir 11 milhões de peças de máscara de tecido para estudantes do ensino elementar e médio, também para os professores.
Fonte: Portal Mie com Nikkei e NHK

Deixe um comentário

Sharp de Mie começa a fabricar máscaras

Uma das plantas da Sharp já iniciou a produção de máscaras para suprir a falta do produto no mercado japonês

sharp masks
A Sharp informou na terça-feira (24) que iniciou nesta data a produção de máscaras, atendendo ao pedido do governo, feito em 28 de fevereiro.

A fabricação está sendo feita na planta de Taki (Mie), inicialmente com 150 mil unidades diárias, mas pretende alcançar a produção de 500 mil.

Declarou que é uma forma de contribuição social diante da escassez do produto em meio à disseminação do novo coronavírus.

As entregas começarão a ser feitas ainda este mês. As pessoas que quiserem adquirir podem acessar a página web em japonês chamada Sharp Cocoro Life.

Mas em 24 de março, ainda não estão à venda.
Fonte: Portal Mie com Ryutsu Biz

Deixe um comentário

Com baixa clientela e queda de vendas, restaurantes passam por crise no Japão

Combate ao Covid-19 pode levar muitos estabelecimentos à falência nos próximos meses

crise no Japão
O aumento dos casos do novo coronavírus no Japão tem afetado restaurantes e bares desde o mês passado.

Segundo reportagem da emissora NHK, uma empresa privada de pesquisa divulgou os resultados de um levantamento com 130 estabelecimentos e redes em todo o país.

Os resultados mostraram que quase 90% dos restaurantes registraram queda nos lucros e baixa clientela no mês passado.

As tentativas de evitar a contração e a disseminação do vírus tem levado muitas pessoas ao isolamento em casa, reduzindo o consumo nos estabelecimentos comerciais.

A dificuldade econômica foi confirmada por 117 dos 130 estabelecimentos (88%). Os detalhes da queda nos lucros foram especificados por 88 empresas. Para 34% dos estabelecimentos, a queda foi inferior a 10%. Para 24%, o desempenho de fevereiro caiu entre 10% e 24%.

Cerca de 11% dos estabelecimentos falaram em uma redução de vendas de 20% a 30% em fevereiro. Para 15% dos locais, a queda foi acima de 30% no mês passado.

Para o especialista Mitsuhiro Harada, da empresa de pesquisa Tokyo Shoko Research (TSR), a perspectiva para este mês é ainda mais negativa.

“O setor de estabelecimentos comerciais está sofrendo com a redução de turistas estrangeiros e as restrições para o combate do novo coronavírus. A influência foi grande no mês passado e a partir de agora, os resultados de vendas devem piorar. O agravamento da situação pode levar muitos lugares a enfrentar a falência”, alertou.
Fonte: Alternativa

Deixe um comentário

Economia do Japão encolhe 7% no último trimestre

Uma recessão é tecnicamente definida como dois trimestres consecutivos de contração

economiajapao
A economia do Japão contraiu a uma sombria taxa anual de 7.1% durante o período de outubro a dezembro, pior do que a estimativa inicial, aumentando os temores de que a terceira maior economia do mundo poderia estar seguindo na direção de uma recessão.

A contração foi a primeira do Japão em mais de 1 ano e seguiu um aumento no imposto sobre consumo em 1º de outubro de 2019, o qual atingiu os gastos comerciais. Dados do Escritório do Gabinete, divulgados na segunda-feira (9), foram uma revisão da estimativa do mês passado de um declínio de 6.3%.

Os dados não refletem a queda acentuada no turismo e em outras atividades de negócios relacionada ao surto do vírus que se espalhou da China para muitas partes do mundo.

A demanda doméstica, incluindo investimentos e consumo, caiu 2.4%. Os gastos do governo ficaram inalterados.

Uma recessão é tecnicamente definida como dois trimestres consecutivos de contração.

Yoshimasa Maruyama, analista junto ao SMBC Nikko Securities, chamou a situação de “grave”.

“A recessão poderia ser mais do que técnica e a economia poderia realmente decair”, disse ele.

O Japão vem tentando se retirar da estagnação econômica ao encorajar crédito e projetos de trabalho público. O governo anunciou várias medidas de estímulo para conter a desaceleração.
Fonte: Portal Mie com AP

Deixe um comentário

Ministério detalha como será a suspensão das aulas em todo país por causa do Covid-19

Pelo risco de contágio em função dos aglomerados em salas de aula, o Primeiro-Ministro Abe decidiu suspender as aulas e MEXT explica em detalhes

MEXT Hirayama
Após o anúncio do Primeiro-Ministro Shinzo Abe de suspensão das aulas das escolas primária, ginasial e colegial, além das especiais, de todo o país, na quinta-feira (27) dois funcionários do MEXT sanaram dúvidas.

Os conselhos de educação foram pegos de surpresa com essa decisão e muitos souberam através da mídia. Também os pais que trabalham fora precisam fazer arranjos para essa situação.

Assim, dois representantes do MEXT-Ministério da Educação, Cultura, Esportes e Ciência, abriram uma coletiva de imprensa na manhã de sexta-feira (28) para explicações detalhadas sobre essa decisão governamental, como medida de emergência.

A partir de 2 de março as escolas deverão fechar as portas temporariamente e os alunos ficarão em casa. Ainda não há data definida para o retorno, mas provavelmente até o começo das férias de primavera, as quais têm datas diferentes dependendo dos municípios.

Milhões de estudantes em casa
São cerca de 10 milhões de estudantes do primário e ginásio mais 3 milhões de colegiais, explicaram. O governo quer evitar contágio pelo novo coronavírus porque há salas de aula com até 40 alunos.

Eles pediram que crianças e adolescentes não se aglomerem para brincar nas ruas e parques mesmo estando de férias forçadas. “Na medida do possível gostaríamos que evitassem sair em grupos”, disseram.

A intenção dessa decisão é assegurar a saúde dos estudantes em primeiro lugar, reafirmaram as palavras de Abe. A preocupação do ministério é que no inverno as salas ficam fechadas, o que pode piorar o quadro da infecção no país, por essa situação sanitária a decisão foi tomada no gabinete.

Cerimônias de formatura suspensas
Uma parte – ainda sem dados concretos – das escolas suspendeu as cerimônias de formatura, como em Aichi. Segundo o governador são 1,7 mil escolas e cerca de 830 mil alunos.

“Para o período e a forma de suspensão das aulas, acreditamos que pode haver várias ideias das escolas com base nas condições reais da área. Gostaríamos de ouvir as vozes locais”, declarou o ministro Koichi Hagiuda.

Ele ainda explicou “as próximas 1 ou 2 semanas são períodos extremamente importantes para superar essa disseminação”.

Os representantes do ministério explicaram que não podem obrigar as autoridades locais a cumprirem essa medida, mas contam com a compreensão da situação.

Período sem aula e como não atrasar o currículo
Como gerenciar esse período, sem que atrase o currículo escolar dos alunos ainda é ponto de estudo por parte do ministério junto com os conselhos de educação das cidades.

Informaram que pretendem começar a analisar ainda na sexta-feira. Também há necessidade de avaliar como ficarão as notas de fechamento do ano letivo, já que em muitas escolas as últimas provas poderão ficar prejudicadas.

Salários dos professores
Os professores da rede pública de ensino receberão seus salários no período de fechamento temporário, disseram os representantes do ministério. No entanto, da rede privada, ainda não se sabe.

Mães que trabalham fora
Quando o casal ou só a mãe trabalha fora há províncias que já pediram ao ministério como resolver essa questão em conjunto. Começará a ser analisada e resolvida em conjunto já que a criança não pode ficar abandonada em casa.

Até quando
O MEXT não pode responder até quando essa situação de emergência se prolongará, pois depende de como ficará o controle do quadro de infecções. Por isso, continuará ouvindo opiniões de especialistas.

Os professores também correm risco como as crianças e adolescentes estudantes. Mas ainda não há uma diretriz definida sobre as atividades que desenvolverão em casa.

A coletiva que durou 74 minutos foi encerrada às 11h35 de sexta-feira com muitas questões ainda pendentes. Ou seja, o MEXT deverá traçar diretrizes em conjunto com os conselhos de educação de cada cidade.
Fonte: Portal Mie com JNN, NHK, CTV e CBC TV